Páginas

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Carta do pedido de exoneração de Evandro Gama


Uma Decisão e um Desabafo 

Ao Excelentíssimo Senhor
Camilo Capiberibe
Governador do Estado do Amapá 

Em dezembro de 2010, quando V. Exa. me convidou para assumir o cargo de Secretário de Estado da Saúde, jurei que iria trabalhar com todas as minhas forças para responder à altura do desafio que V. Exa. me propunha.

Assim fiz, juntamente com a minha equipe e servidores. Em seis meses de governo, a Secretaria de Estado da Saúde – SESA realizou uma série de ações e atividades pautadas na melhoria dos serviços e do atendimento prestado aos cidadãos e cidadãs usuários do Sistema Único de Saúde – SUS no Estado do Amapá. Foram inúmeros investimentos na capacitação de pessoal, redistribuição de servidores, readequação e otimização dos espaços em diversas unidades de saúde, serviços de reparo na estrutura física das unidades, manutenção e aquisição de novos equipamentos, contratação de pessoal por meio de contrato temporário, inauguração de novas unidades de saúde, redesenho de rotinas de trabalho, a fim de reduzir a burocracia, etc.

Entretanto, dentre as muitas ações e atividades, gostaria de destacar as seguintes:

1) a entrega de 151 leitos, entre novos e reformados, distribuídos da seguinte forma: 32 no Hospital de Clínicas Alberto Lima (mais 32 leitos estão quase prontos), 10 no Hospital de Emergência, 15 no Hospital de Santana, 54 na Unidade Neonatal do Hospital da Mulher Mãe Luzia, 15 no Hospital de Laranjal do Jari e 25 na Unidade Mista de Pedra Branca do Amapari;

2) com o seu apoio e da Secretaria de Infraestrutura, o reinício das obras do Hospital de Santana, desde 2007 parada. Com a sua entrega, mais 110 novos leitos serão disponibilizados para a população de Santana;

3) o início da construção do Centro de Nefrologia no Hospital de Santana. Sua entrega ainda em 2011 melhorará muito o atendimento dos pacientes com deficiência renal crônica que moram naquele município;

4) a inauguração de quatro Centros de Especialidades Odontológicas, distribuídos no bairro do Trem, na comunidade do Goiabal, no SEST/SENAT e na AMPREV;

5) a instalação de um novo arco cirúrgico e de um novo raio-x no Hospital de Emergência, melhorando a eficácia da atividade dos profissionais;

6) o início da implantação do acolhimento com classificação de risco no Pronto Atendimento Infantil (PAI) e no Hospital da Criança e do Adolescente;

7) a mudança da Casa de Apoio em Belém para o Hotel Sam Remo, com quartos com ar-condicionado e frigobar;

8) o lançamento do serviço de Diálise Peritoneal Ambulatorial Contínua no Estado do Amapá, viabilizando a diálise do paciente na sua própria residência;

9) A implantação de uma máquina de hemodiálise na UTI do Hospital de Santana, evitando a perda de pacientes por sua ausência;

10) a inauguração da Unidade Neonatal do Hospital da Mulher Mãe Luzia, com 54 novos leitos;

11) o início da implantação de mais 15 leitos no Hospital da Criança e do Adolescente;

12) o início da reforma de cinco salas do centro cirúrgico do Hospital Alberto Lima, bem como o pagamento e entrega do projeto arquitetônico e de engenharia do referido hospital ao Ministério da Saúde, a fim de garantir R$ 15 milhões para conclusão do Plano Diretor daquela unidade de saúde. Com a sua conclusão teremos o serviço de radioterapia implantado no Estado;

13) a inauguração do Centro de Atenção Psicossocial para Dependentes Químicos de Álcool e Outras Drogas, paralisado desde 2008;

14) conclusão do Planejamento Estratégico da SESA, para o período de 2011 a 2014, apontando o novo rumo para a saúde pública no Estado; e

15) a redução de 22,8% em óbitos neonatais no Hospital da Mulher Mãe Luzia, comparado com o mesmo período do ano passado. 

Em que pese o muito que foi feito nestes seis meses de gestão, ainda é pouco diante da situação catastrófica em que encontramos a saúde pública no Estado do Amapá.

Entretanto, a maior dificuldade encontrada não foi a restrição orçamentária, as péssimas condições das estruturas físicas dos hospitais, a falta de equipamentos e a existência de muitos profissionais desmotivados em razão do abono da saúde pública nos últimos oito anos.

A principal dificuldade encontrada foi o bombardeio constante à minha pessoa e à minha família. Fui e continuo sendo alvo de integrantes de parte da imprensa, que são tudo menos jornalistas e comunicadores. Da mesma forma, pessoas usam o mandato político para querer jogar lama sobre a minha história de vida, tentando me igualar a eles. Em outro fronte, alguns que se intitulam “empresários”, sem o ser, também me atacam de forma covarde e sorrateira.

São pessoas que estavam acostumadas a viver a custa do dinheiro público do Estado do Amapá. Não têm o menor respeito ao ser humano. Fazem qualquer coisa para ganhar um dinheiro fácil, mesmo que isso signifique a morte de um paciente.

Querem jogar no lixo uma história que construí com muito sacrifício. Um amapaense, filho de um carpinteiro e de uma professora, que, com a ajuda de seus pais e pelo seu mérito pessoal, formou-se em Direito, passou no concurso público de Procurador da Fazenda Nacional, foi Subprocurador-Chefe da Fazenda Nacional em São Paulo, Procurador-Chefe da Fazenda Nacional no Estado do Amapá, Assessor da Casa Civil da Presidência da República, Ministro Interino da Advocacia-Geral da União, Superintendente do INCRA no Amapá e Secretário de Estado da Saúde no Amapá.

Por onde passei deixei realizações e não respondo a um processo sequer. Agora, com relação a essas pessoas que me atacam não sei se passariam incólumes a investigações de órgãos de controle e repressivos.

Sempre fui acostumado a lutar pelo que acredito. Eu lutaria até o fim contra esses ataques, trabalhando cada dia mais ainda. Porém, há momentos em que nossas vontades pessoais têm que ceder espaço para a construção de projetos maiores.

No meu sentir, como os ataques a minha pessoa estão prejudicando o nosso Governo, prefiro neste momento me afastar da Secretaria de Estado da Saúde para ajudar na construção da sua governabilidade.

Faço isso convicto de que o nosso governo tem o melhor projeto para a construção de uma sociedade mais justa para o nosso Estado. Seria egoísmo da minha parte querer permanecer à frente da SESA e prejudicar a implantação desse projeto tão querido pela grande maioria da população amapaense. Maioria que nunca acessou os benefícios das políticas públicas, em razão da minoria que me ataca ter privatizado o nosso Estado para atender seus interesses particulares.

Faço isso para beneficiar as pessoas sérias que conheci nesse período: o cidadão humilde, o político sério, os empresários comprometidos, os jornalistas comprometidos com a verdade, o trabalhador que precisa de serviços de saúde com qualidade e o respeito ao ser humano.

Agradeço sua confiança e seu apoio. Conte comigo. Também agradeço minha equipe de trabalho e a todos os servidores da SESA pelo apoio recebido. Por fim, agradeço o amor e o carinho da minha família, sustentáculo da minha existência.


Macapá, 26 de junho de 2011. 
Evandro Costa Gama

Um comentário:

  1. eu sempre investigo a saúde e seus grandes escandalos, o importante nessa carta e que sutilmente ela monstra que empresas, é que são as grandes aliciadoras dá má conduta do estado, o caso é que para ganhar dinheiro as funerarias não estão nem ai com os pacientes e podem está comprometidas com grandes redes de corrupções entre os sugadores da saude. essa é minha opinão acredite ou não..

    ResponderExcluir